Sobre a rpee > Estatuto Editorial

Print this page

A Série I da Revista Portuguesa de Engenharia de Estruturas, que terminou em Dezembro de 2006, perfazendo 55 números, teve o seu início em Janeiro de 1978, por iniciativa do Departamento de Estruturas do LNEC. Procurava-se, então, promover a divulgação da atividade científica e técnica desenvolvida no domínio da Engenharia de Estruturas, com o objetivo de preencher uma lacuna já constatada à época. No dizer do primeiro editorial, assinado por Júlio Ferry Borges, “o seu objectivo fundamental consiste em informar acerca dos progressos recentes no campo da engenharia de estruturas”.

Com a publicação do número 1 da Série II, inaugurou-se um novo formato e um novo aspeto gráfico, procurando-se contribuir para uma leitura mais aprazível e interessante. Contou-se também com a importante colaboração de um painel de revisores recentemente ampliado, por se considerar ser este um fator decisivo de qualidade e rigor.

Sem perder de vista os propósitos iniciais da rpee, considerou-se que, tantos anos volvidos desde o lançamento da Revista, se impunha uma reflexão e ajustamento ao presente contexto científico e técnico, nacional e internacional.

Assim, a Revista Portuguesa de Engenharia de Estruturas passou a incluir, na Série II, números temáticos, intercalados por números generalistas, por se entender ser oportuno um tratamento mais sistemático e aprofundado de alguns temas de grande atualidade.

Os números da nova Série III, publicados quadrimestralmente, passam a ser editados em formato digital, e totalmente disponibilizados online, com livre acesso.

São grandes objetivos da administração da rpee a obtenção a curto prazo da indexação internacional da revista e, em seguida, um elevado fator de impacto.

A rpee mantém o carácter de revista de divulgação científica e técnica, no âmbito da engenharia de estruturas. Procura-se, assim, continuar a contribuir para uma área que merece o maior empenho, ao serviço, sobretudo, da comunidade nacional e internacional de Língua Portuguesa.

julho de 2016